domingo, 19 de março de 2017

18 Sugestões de como trabalhar com alunos com TDAH



1. Reduzir os atrasos de tempo e comunicar o tempo:
Se possível, reduzir ao mínimo os tempos de espera. Usar timers, relógios, controladores de tempo ou outros dispositivos que mostrem o tempo como algo físico quando houver limites de tempo para a realização de tarefas.
 2. Comunicar informações importantes.
Colocar lembretes, dicas, sugestões e outras informações-chave em pontos críticos do local para lembrar à criança ou ao adolescente o que deve ser feito.
3. Comunicar a motivação (pensar vencer/vencer).
Usar sistemas de símbolos, programas de recompensa, privilégios ou outros reforçadores para ajudar a motivar a criança ou o adolescente com TDAH.
4. Comunicar a resolução do problema.
Tentar reduzir os problemas mentais a problemas físicos ou tarefas manuais, em que as peças do problema podem ser manualmente manipuladas para se encontrar soluções ou criar novas ideias.
5. Usar o retorno imediato.
Agir rapidamente após um comportamento para proporcionar imediato retorno positivo ou negativo.
6. Aumentar a frequência das consequências.
Proporcionar mais retorno e conseqüências para o comportamento com mais frequência do que é necessário para uma criança ou adolescente que não tenha TDAH.
7. Aumentar a responsabilidade em relação aos outros.
Fazer a criança ou o adolescente ser explicitamente responsável por alguém várias vezes durante o dia (ou durante a tarefa ou o local) quando coisas precisarem ser feitas.
8. Usar recompensas mais visíveis e artificiais.
As crianças e os adolescentes com TDAH necessitam de incentivos mais fortes para motivá-los a fazer o que os outros fazem com pouca motivação externa por parte de outras pessoas.
9. Mudar periodicamente as recompensas.
As pessoas TDAH parecem se entediar mais facilmente com algumas recompensas; por isto, periodicamente, você pode precisar encontrar novas para manter o programa interessante.

ARTIGO COMPLETO E FONTE EM –> http://rhemaeducacao.blogspot.com.br/2016/12/18-formas-de-lidar-com-o-tdah.html

0 comentários :

Postar um comentário